Deputado defende política nacional de resíduos sólidos em seminário da abes



gestão / prevenção / conservação / manutenção








Histórias e Gente de Valor

etica
Reflexões

11/12/2007 - Deputado defende política nacional de resíduos sólidos em seminário da abes

Por enviada por Célia Wada

Alterar tamanho da fonte: A+ | a-
O deputado federal Arnaldo Jardim (PPS-SP), coordenador de Resíduos Sólidos da Frente Ambientalista, foi palestrante do 2º Seminário Regional Sudeste sobre Resíduos Sólidos das Políticas para uma Gestão Integrada de Resíduos, promovido pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES, no último dia 10, na capital paulista. 
Participaram da cerimônia de abertura o presidente nacional da ABES, José Aurélio Boranga, o representante do Ministério de Meio Ambiente, José Aurélio Silvano Silvério da Costa, o deputado estadual e relator da lei paulista sobre Resíduos Sólidos, Rodolfo Costa e Silva, além de especialistas de órgãos públicos, do setor privado, acadêmicos e da sociedade.
O objetivo do evento foi discutir o Projeto de Lei 1991/07 que estabelece a Política Nacional de Resíduos Sólidos, abordando o estado da arte, as dificuldades e os desafios de consolidar instrumentos legais para fomentar ações, práticas e modelos adotados no setor.
“Há mais de 16 anos, o Congresso Nacional não consegue apresentar a sociedade brasileira uma política nacional sobre o tema, é um atraso injustificável. É necessário que o Legislativo ao receber o PL 1991/07 do Executivo, estabeleça um processo célere para aprovação de uma legislação federal exeqüível e inovadora em relação aos Resíduos Sólidos”, destacou em discurso o presidente da ABES.
Na sua palestra, o deputado Arnaldo Jardim destacou a importância do seminário e saudou o intercâmbio entre o Legislativo, associações representativas do setor e de diversos segmentos da sociedade, no sentido de fazer um “coro uníssono” pela aprovação de uma política nacional capaz de estabelecer diretrizes gerais, definições, instrumentos, gestão integrada e responsabilidades para os resíduos sólidos.
“O estabelecimento de um marco regulatório de resíduos sólidos deve ser entendido como um instrumento indutor do desenvolvimento social, ambiental e econômico”, destacou Jardim. “Assim, o lixo deixa de ser um problema e se desmembra em diversas oportunidades, na medida em que gera novas riquezas e negócios, cria postos novos de trabalho ao mesmo tem em que promove a inserção social por meio da reciclagem, estimula a adoção da ecoeficiência nas empresas e dissemina na sociedade a necessidade de um consumo consciente”.
“Há alguns anos, acompanho a questão e presidi o Grupo de Trabalho que elaborou e aprovou a Política de Resíduos Sólidos do Estado de São Paulo. Um experiência bem sucedida, fruto de um debate plural com todos os partidos e segmentos da sociedade, que serve de referência, embasa e entusiasma a minha atuação como deputado federal comprometido com o tema”, destacou o deputado. 
Jardim ainda reiterou a importância da “sociedade esteja atenta e participe da discussão” sobre o tema e faça sentir no Congresso Nacional a sua força, para que a Política Nacional de Resíduos não a mercê dos lobbies conhecidos. “Acredito que as soluções para os problemas que envolvem a geração de resíduos no Brasil devem ser de longo prazo, com total sustentabilidade econômica, ambiental e social”, finalizou o deputado Arnaldo Jardim.
 
Mais informações
Gabriel Ribeiro
Assessoria de Comunicação Deputado Federal Arnaldo Jardim (PPS-SP)
tel: (11) 3889-0055 - 9313-4902
gabriel@arnaldojardim.com.br
www.arnaldojardim.com.br
 
Comente este artigo:
* Nome:
E-mail:
Publicar E-mail:Sim   Nao   
* Comentário:
O que está escrito na imagem ?
 

Política e Responsabilidade Social

Copyright © 2018 CMQV - Câmara Multidisciplinar de Qualidade de Vida. Todos os direitos reservados.
Website desenvolvido com tecnologia Super Modular