Bienal: alienação da une



gestão / prevenção / conservação / manutenção








Histórias e Gente de Valor

etica
Reflexões

23/02/2007 - Bienal: alienação da une

Por Heitor Reis

Alterar tamanho da fonte: A+ | a-

Depois da decepção ideológica e ética com o PT e com o PC do B, agora, vemos  a UNE colocando sua pá de cal sobre o túmulo de uma geração que lutou contra tudo que eles incorporaram em seu processo de conciliação de classes.

O PT se tornou o "Partido dos Traidores" da própria Carta de Princípios que,teoricamente, regia o ideologicamente extinto Partido dos Trabalhadores, que pregava "não haver socialismo sem democracia e nem democracia sem socialismo".

Portanto, como não estamos numa sociedade socialista e, naturalmente, nem democrática, hoje, continuamos vivendo sob uma ditadura do capital sobre o trabalho, tendo como cúmplices nesta empreitada ambos os partidos. Uma plutocracia e cleptocracia.          


O PC do B, que, de comunista nada mais tem, além de um discurso amenizado pelos privilégios do poder, tornou-se o "Partido Capitalista do Brasil", gerenciando eficazmente a extorção da "mais valia
multiplicando o lucro dos senhores do Estado, seus antigos inimigos de classe, hoje cúmplices.

Quando tu ouviste, pela última vez, algum dos líderes destes partidos
mencionar alvos básicos como acabar com a propriedade, com o livre mercado ou com a exploração do trabalhador pelo capital? Ou projetando um cenário futuro onde tal coisa ocorrerá? Ou condenando o financiamento da "revolução" com o dinheiro do patrão?
A alienação da UNE, aparelhada pelos dois partidos, fica ainda mais patente, quando vemos a logomarca da Rede Globo encabeçando as parcerias que a outrora revolucionária entidade buscou para sua bienal. [www.une.org.br/bienal ]

Onde estão os estudantes que lutaram contra a Ditadura Militar de 1964, às custas de algumas vidas, de tortura e muita perseguição?

Onde estão os estudantes que buscam esclarecer ao povo que vivemos, hoje, numa ditadura ainda pior, porém mais sutil, que faz o trabalhador pagar três vezes mais impostos que os ricos, o governo do PT e do PC do B dobrarem o número de bilionários e permitir à elite dominante, lucros como jamais tiveram nos oito anos do FHC?

Onde estão os estudantes que acreditam, como o atual professor do
Departamento de Política e Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Lúcio Flávio Rodrigues de Almeida, que ainda guarda os princípios de uma geração em extinção?

A Revista do MST, disponível no sítio da entidade, divulga sua tese em
letras proporcionais ao vigor de sua maturidade: "Fora das lutas de massa não há o que fazer, a não ser esperar a cooptação". Para ele, o país precisa massificar as lutas de sociais, que estão fragilizadas "em grande parte devido ao governo Lula".
Onde estão os estudantes que percebem a Rede Globo como líder de um oligopólio da comunicação no país, contrariando os princípios
constitucionais, e que serviu fielmente à Ditadura de Militar, como seu
veículo extra-oficial de notícias, mantendo nosso povo dopado em uma
programação que demonstrava tudo estar bem no Brasil e o mundo desabando longe de nossas fronteiras, conforme o próprio ditador de plantão, General Emílio Garrastazu Médice?

Que, "durante a ditadura militar a Globo também acobertou a Operação
Bandeirantes (OBAN), em que os revolucionários contrários à ditadura eram mortos das mais variadas formas inclusive jogados de avião no mar, de barriga aberta para não boiarem e para os corpos não aparecerem jamais?"

Que utilizou, ilegalmente verba de empresa estrangeira no caso Time-Life?

Que, para esconder mais este crime, mandou "arrancar as folhas 42 e
seguintes do livro 1478 do II Cartório de Ofício de Notas, conforme
brilhantemente descoberto e reportado por Daniel Herz em seu livro A
História Secreta da Rede Globo"?

Que tentou dar um "golpe de Estado" no Brizola, no caso Proconsult?

Que foi contra a campanha das "´Diretas Já, ou anunciá-la em seu noticiário como uma festa em homenagem ao aniversário da cidade de São Paulo"?

Que forjou a cobertura do debate Lula X Collor, em 1989, tentando, desta feita, com sucesso, outro "golpe de Estado"?

[ Mais detalhes em Rede Globo - A Farsa, donde extraí parte do texto citado, em http://www.redeabraco.org/nt260107/redglo.html ]
Onde estão os estudantes brasileiros dispostos a esclarecer à população que a trabalhadora e o trabalhador somente tem liberdade para trabalhar por um salário aviltante, servir seus senhores com a "mais valia" e pagar quase 50 % do que recebe em impostos, enquanto os ricos são praticamente isentos desta derrama neoliberal ou neo-escravagista?
Onde estão os estudantes que se harmonizam com a reflexão de Boaventura de Souza Santos durante o 7o. FSM - Fórum Social Mundial?
"Hoje no mundo há processos reformistas que parecem revolucionários:
Chávez. Há processos revolucionários que parecem reformistas: movimento Zapatista.

E há processos que parecem reformistas e nem reformistas são: Lula".


Onde estão os estudantes que apóiam o MST em sua tese de que nada foi feito pela reforma agrária no primeiro mandato do governo Lula, defendida também no 7o. FSM?

De uma coisa, eu sei: não estão dentro da força política que dirige a
UNEatualmente! Nem o PT e nem o PC do B...

Afinal, como diz nosso Presidente da República: Quem tiver mais de 50 anos e for socialista não está bom da cabeça.

E nossos estudantes, cautelosamente, estão se preparando para se
descontaminar o mais cedo possível desta enfermidade, tão temida pelos senhores do Estado, de quem os presidentes são apenas os motoristas, como diz João Pedro Stédile e Dom Mauro Moreli.

Assim, podemos imaginar que, em breve, cada cidade terá sua Avenida
"Jornalista" Roberto Marinho, estátua em praça pública para o "ilustre"
cidadão, feriado nacional no dia de sua morte e sempre as viúvas carpideiras do PT, do PC do B e da UNE chorando em seu túmulo, para aliviar os tormentos que sofre atualmente nas mais aquecidas profundezas do inferno, ao lado dos papas que sonhamos, um dia, enforcar nas tripas dos últimos reis.

Plim, plim!!!...

(*) Heitor Reis é engenheiro civil e consultor da CMQV - Câmara
Multidisciplinar de Qualidade de Vida [ www.cmqv.org ]

Nenhum direito autoral reservado. Esquerdos autorais. (Copyleft"). www.HeitorReis.fr.fm -
heitorreis@gmail.com

 
Comente este artigo:
* Nome:
E-mail:
Publicar E-mail:Sim   Nao   
* Comentário:
O que está escrito na imagem ?
 

Política e Responsabilidade Social

Copyright © 2018 CMQV - Câmara Multidisciplinar de Qualidade de Vida. Todos os direitos reservados.
Website desenvolvido com tecnologia Super Modular