São roque - a cidade que sonhamos


Próximos Cursos

ERGONOMIA



gestão / prevenção / conservação / manutenção








Histórias e Gente de Valor
Reflexões

15/08/2005 - São roque - a cidade que sonhamos

Por Silvania Budoya Bujan Lamas

Alterar tamanho da fonte: A+ | a-

Sonhar é um privilégio do ser humano, através dos sonhos nos entregamos às fantasias e devaneios. Muitas vezes sonhamos acordados, com o desejo veemente de que um dia os sonhos se tornem realidade.

Ao contemplamos nossa cidade de São Roque, com beleza natural invejável, clima ameno e agradável, viajamos através da imaginação.

O primeiro desejo é de morar numa cidade justa, onde as leis são respeitadas e cumpridas, onde os dirigentes estejam preocupados com o bem estar do cidadão e o progresso da cidade, trabalhando incansavelmente para o bem comum.

Que tenhamos educação de qualidade (da creche a faculdade), onde nossos filhos serão educados, tornando-se homens dignos e honestos.

Que a saúde seja um direito de todos e não um privilégio de poucos, com atendimento médico hospitalar digno e eficiente.

Sonhamos com uma cidade segura, onde possamos sair as ruas, a qualquer hora do dia ou noite, sem medo de assaltos, violência e drogas.

Uma cidade em que o Poder Executivo seja atuante, preocupado com o povo e comprometido com o crescimento do município.  

Com um Poder Legislativo compromissado com a qualidade de vida da população, fazendo leis e fiscalizando os órgãos administrativos, sempre em defesa do povo e da cidade.

Mas infelizmente nos deparamos com nossa triste realidade, com a cidade estagnada no tempo, carente de tudo, a mercê do abandono.
Os funcionários públicos estão desmotivados, sem esperança de melhora e sem perspectiva de progresso, reivindicam a várias gestões, planos de carreira, valorização e remuneração adequada para seu trabalho.

A população em geral está abandonada, faminta, sem habitação e sem saúde. Os enfermos mais graves esmolam atendimento em outros municípios, muitos deles passando a noite nas filas dos hospitais de SP, sem dinheiro para o transporte e com fome.

Nos lares várias pessoas vivem da aposentadoria do patriarca da família, uma vez que, o emprego desapareceu a muito tempo de nossa Cidade.
Se, como brasileiros, estamos amparados pela Constituição da República Federativa do Brasil, no Artº 5º que diz “todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza... com direito à vida, à liberdade, à igualdade...” e no Artº 6º “São direitos sociais a educação, a saúde, o trabalho, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados...”,

por que nossa cidade e população estão nessas condições?

Devemos todos trabalhar para que nossos sonhos se tornem realidade, construindo uma Cidade mais justa e solidária, onde todos possam ter os mesmos direitos e deveres.
 
Autora: Silvania Budoya Bujan Lamas
Arquiteta / Engenheira de Segurança
membro do Cosnelho Consultor da CMQV
Publicada no Jornal O Democrata – 2005 – São Roque

 
Comente este artigo:
* Nome:
E-mail:
Publicar E-mail:Sim   Nao   
* Comentário:
O que está escrito na imagem ?
 

Política e Responsabilidade Social

Copyright © 2014 CMQV - Câmara Multidisciplinar de Qualidade de Vida. Todos os direitos reservados.
Website desenvolvido com tecnologia Super Modular